Desculpe pelo babaca que fui!!!

Você juntou e colou caquinhos do teu coração, varreu a sujeira dos teus antigos amores, organizou cada dor para que eu me sentisse em casa e em contra partida eu retribuo com medo e insegurança. Esperando que meu futuro fosse reprise dum passado que me causou desilusão e dor.

A vida me sorriu com covinhas. O amor bateu na minha porta calçando 34. Eu respondi fechando a cara pra vida e ignorando o amor. Boicotei minha felicidade por me prender a probabilidade de dar errado. Me agarrei a frieza dos números e ignorei que, talvez, você fosse a metade da minha laranja. Coloquei ponto final numa historia que não passou da segunda pagina. Tenho essa mania de me sabotar. De agir feito homem-bomba e explodir qualquer traço de felicidade da minha vida.

Enquanto tu mergulhavas num mar de incertezas eu preferia a segurança da terra firme. Prendendo-me ao “e se não for ela”. Fui fraco e medroso. Desisti de nós sem ao menos tentar. Deixei que a dor fosse maior que minha esperança.

Construí muros em torno do meu coração. E você contrariou o que havia prometido a si mesma e me confiou às chaves do teu coração. Acreditou em nós. Mesmo após tantos desamores. Após andar desacreditada na sua capacidade de amar. Você sentiu que dessa vez poderia ser diferente. Não foi. Na tua vida me tornei estatística. Outro na tua lista de “quase amores”. Outro erro na tua busco por um, somente um acerto.

Enxugue as lagrimas do teu rosto, pois eu não valho uma gota sequer. Troque o choro por aquele sorriso corega que lhe cai muito bem. Espero que você encontre alguém para amar e ser amada. Quanto a mim, bem, antes de seguir em frente vou deixar que as feridas em meu peito cicatrizem. Fecharei a casa para balanço. Organizarei a bagunça, juntarei os cacos e irei me refazer. E, quem sabe, numa dessas idas e vindas, o destino não volte a cruzar nossos caminhos.

Por momento, desculpe.


PELA WEB

Loading...