Desculpa…

Desculpa mas sinto-me cansada, cansada de sermos momentos e nunca sermos uma vida, cansada de sermos uma história e nunca uma realidade…

Desculpa mas sinto-me cansada das tuas promessas sem compromisso, dessas tuas vontades desmedidas de me ter mas nunca para sempre, cansada de tentar te compreender.

Eu tento te perceber por inúmeras vezes, porque se gostas de mim como me podes tu fazer isto? Prova-me de uma vez, mas que essa vez seja com um pouco de “para sempre”.

Desculpa mas eu quero uma soma, quero que sejas tu e eu, mais todos os outros que fazem parte da nossa vida, não é assim? Nunca seremos só nós, mete isso na tua cabeça, serei eu e tu, os nossos amigos e a família…a nossa família.

Disseste-me que ias lutar, na realidade quando gostamos nós não temos que lutar, nós decidimo-nos e nós nos assumimos, a nós e quem amamos, é tão simples…não poderia ser de outra forma…o que sentimos tem que ser uma completa certeza, de um “para sempre” que pode não acontecer, mas que existiu em determinado momento da tua história.

Se ainda tens dúvidas eu não sou mais que um passatempo na tua vida e tu uma perda de tempo na minha, então vamo-nos deixar de empates e vamos fazer ganhos para outro lado.

Afinal, não seria a primeira vez que usavas alguém para me ultrapassar e eu também não posso dizer que não o tenha feito, mas desta vez não o faças para me esquecer…

Desculpa mas encontra alguém que te mereça e compreenda, sim, encontra o amor ele não se procura e eu mereço-te mas não te compreendo. Encontra alguém que entenda que outro alguém te amou demais e deixou-te ir para que pudesses ser feliz com ela…alguém que valorize quem és, quem foste e quem queres ser…faz assim, entra de mansinho e deixa-te levar pela paixão dela, se ela valer a pena, ela terá toda uma paixão pela vida, não tenhas medo…como uma vez me disseste o amor dói, é verdade a dor chega a ser insuportável, se queres que te diga, não sei até que ponto tu o sabes, mas certamente não mais insuportável como tem sido suportar-te nesses dias de silêncios constantes, nessas incertezas frequentes, em que por mais que eu queira eu não te procuro.

Entrega-te de uma vez, deixa sentir que és de outra pessoa, que pertences a outra pessoa, e que esse alguém pode cuidar de ti, eu entreguei-me com precaução, e inevitavelmente magoei-me, faz parte…não tenhas medo a vida é feita de dores. Vive um amor com intensidade, sente que é tão bom amar e ser amado…pelo menos eu ouvi dizer que sim…

É estranho dizer-te “encontra alguém”… mas se tu encontrares eu sei que já não me irás procurar mais, compreendes? E que eu não vou ceder mais…

Sim, desculpa-me mas eu não vou pedir que fiques comigo, eu mereço como te disse alguém que me queira sem ter que pedir, alguém que me exija na sua vida, que me exija de uma forma calorosa e com toda a sua certeza, que não seja só eu e ela, que seja eu e toda a sua vida, eu e todos os seus planos, que os seus lençóis me chamem todas as noites sem medos, de qualquer um outro patamar invisível e talvez inexistente no imediato.

Desculpa mas quero alguém que se some a mim, sem mais qualquer consequência de uma paixão inebriante, de s3x* escaldante e de um amor sem fôlego.

Quero-te, mas já não te quero mais na minha vida…porque na realidade se eu não faço parte da tua, desculpa mas tu não fazes parte da minha.

PORAna Mendes
Partilhar é cuidar!