Demência!

Instigado pela demência
e erros do passado,
fujo daquele amor
que tanto me tem atormentado.

E quando o futuro seria certo
foi só um passo retardado.
Somos feitos de memórias,
definidos pelo passado.

Procurei alento,
pela falta de enredo.
Congelei no tempo,
na época do medo.

Eu sei que não falo,
e escrevo o meu prazer
deixarei então o silêncio
como poesia do meu saber.

PORRafael Barata
Partilhar é cuidar!