Deixei de ser livre…

15º Campeonato Nacional de Poesia de Pedro Chagas Freitas

Jornada 2

Hoje deixei de ser livre
Hoje passei a ser prisioneiro do amor
Hoje mesmo que não queira amar, amarei
Hoje perdi a noção do quanto eu sei, ser livre

Ainda ontem continha em mim a liberdade
Aquele doce sabor que perdemos quando chega uma certa idade
Porque por mais que não queiramos aceitar, é verdade
E ninguém terá piedade de nós no que toca ao amor

Amanhã serei livre outra vez
Amanhã recuperarei a minha liberdade
Amanhã digo que não quero ser mais prisioneiro
Amanhã só digo porque não terei coragem de deixar de o ser

Deixa-me ser livre
Deixa-me ser o que sou
Deixa-me em ti
Deixa-me apenas

Tudo o que quero de ti
São palavras amenas e um pouco de sentimento
Mas tu sabes que não consegues lidar com o tempo
Ele passa e eu não te consigo ver passar nele