Dei tudo de mim!

Deitado sobre os meus braços ouço o compasso ritmado do relógio. O meu coração tem um ritmo mais acelerado e por vezes parece que vai fugir do peito fora.

Lá fora a vida esta cheia de ritmos, ritmos que não consigo acompanhar porque estou preso, sim, preso nas recordações da história de amor que vivi. O dia nasce, a noite cai e nessas longas horas as flores florescem, o mundo ganha diferentes tonalidades mas e eu? Eu tento pintar a minha vida com as cores do arco-íris mas o verde torna-se negro, o vermelho fica cinzento e assim se resume a minha vida em tons de melancolia.

Não quero estar aqui, estou cansado de estar aqui porque o meu lugar era ao teu lado. Adormeço a pensar em ti e desejo acordar com uma mensagem tua, mas sabes, a única coisa que tenho é a sombra do teu corpo que me assalta os sonhos e os torna em pesadelos.

Da tua partida já sei o sabor. Sabor envenenado que me mata e consome as minhas forças, sinto-me fraco para lutar e para voltar a usar os músculos para sorrir. Avança. Bofeteia-me. Despedaça o meu coração de uma vez por todas. Eu quero odiar-te. Quero esquecer tudo aquilo que vivemos. Leva o teu cheiro e o sabor da tua boca. Foge com um novo amor para que eu te possa esquecer. Rouba a lembrança da tua pele nua sobre a minha e impede que meus dedos tenham alucinações de tocarem o corpo que um dia foi meu, meu, mas que hoje pertence ao mundo.

Deixa-me seguir os sonhos que por ti queria abdicar. Tenho tantos sonhos que quero realizar. Quero um futuro com a felicidade que me privaste ter. Quero alguém que não se farte dos meus longos textos ou da minha excessiva necessidade de mostrar aquilo que sinto, quero alguém que não tenha vergonha do que viveu comigo e que nunca se arrependa.

Solta-me, liberta-me, já me roubaste demasiado tempo. Estás a criar um monstro. Tudo aquilo que melhoraste hoje está pior, o sofrimento consumiu o meu humor e a minha empatia. Sinto sede. Deixa-me sentir a água refrescante da vitória, dá-me a concórdia que desejo e a veneração que necessito.

O teu orgulho escalou o pico mais alto da galáxia e não pretende voltar, assim como o meu amor por ti não quer partir. Imploro-te: faz com que o meu amor por ti acabe antes que ele acabe comigo.

Encoraja-me a encontrar a felicidade num

compasso que se adapte ao meu ritmo.

Faz!