Death Note!

Aqui, hoje e agora, assino a nota da minha morte. Vou calar estes pensamentos, estas frustrações, este vai não vai, anda não desanda. Eu, como me conheces, acabou. O Eu não suporta mais este mundo. Este egoísmo. Este privilégio que se dá à dor. Esta falta de humanismo e de amor. Criaste um monstro. Um monstro que eu renego, aqui e agora. Neste exacto momento estou a preparar a vingança, para com esta monstruosidade que criaste.

Estás satisfeito? Espero que sim. Mas a tua criação não vai durar muito tempo. Não sobrevivo a esta mediocridade de vida. Eu não estou aqui para sobreviver. Estou para viver.

Morre demónio que me possuis. Que me iludes e convences. Não sou mais tua, porque, aqui e agora, assino este tratado com a morte. A tua morte. A minha em parte. Liberta-me desta vida, das ideias ocas, dos pensamentos cíclicos.

Quero conhecer o paraíso da vida. Saborear um novo ar, focar-me no bom. A felicidade está mesmo ali. Só preciso de assinar esta nota que me trará paz e alivio. Sim. Vou morrer. Porque eu sou 2. Porque eu sou dupla. Mas não existe mais espaço para nós 2. O mau é forte, sim eu tenho consciência. Mas comigo, o mau não vence. Comigo o mau mata-se. Como? Começando pelo bem. Fazer o bem ao mundo, mas não sem antes o fazer a mim.

Sim. Eu mereço o bem. 1 de mim merece o bem pelo menos, porque a outra metade merece morrer. Dolorosa e bem planeada. Sem volta a dar. Vou morrer. Tu vais morrer. O mal morre para dar espaço para o bem.

Cansei-me de ti. Não te quero mais na minha cabeça. Não te quero mais no meu corpo. Consomes cada pedaço da minha energia, da minha bondade. Ofuscas a minha mente com pensamentos dilacerantes. Entulhas-me a mente com lixo. Porque não passas disso mesmo. Lixo. Demónio que me queres levar. Isso não sou eu. E por não ser eu, só há uma coisa a fazer. A morte. E sabes? Eu já planeava esta morte, a tua morte, ou a minha, como lhe quiseres chamar. Mas fiz tudo na periferia da minha mente. Fiz tudo nas tuas costas. Afinal, não pareces assim tão inteligente.

E agora? Agora vou só assinar a nota de morte. Porque vais morrer assim que eu a assinar. E de ti? Eu não preciso mais.

Death Note

EU

PORCatarina Diogo
Partilhar é cuidar!