O coração lá sabe, o que não sabe…

Às vezes nem acaba o amor. É estranho, como o amor pode acabar? O amor é infinito e pronto! No entanto, é difícil realizares-te enquanto essa tua paixão dura. Nem todas as paixões funcionam com o decorrer das tarefas normais da vida. Mas o amor, esse sempre funciona.

-(ELA) Não me podes abandonar agora! Tudo parece preto e tu sempre tens uma luzinha para mim!
(Após silêncios leves)
-(ELE) Sabes que nunca te abandonarei. Sabes que há qualquer coisa em ti que me prende, há qualquer coisa em nós que fica por se realizar… Por muito que me afaste, que siga a minha vida, o teu perfume sempre me prenderá, nem que seja por meros escassos segundos, a atenção.

– (ELA) No fundo só quero que sejas feliz… Ambos acreditamos em algo Superior, talvez Ele saiba jogar a nossa última vida, melhor que nós próprios…
-(ELE) Foste tu que escolheste partir…
-(ELA) Não entendes! Eu não entendo. És quem me conhece melhor, quem nunca me deixa sentir só, inferior, em baixo…Quem sempre tem um sorriso capaz de colar qualquer peça partida. Quem no fundo confio tudo e sempre espero que tenha uma solução…
– (ELE) Então porque não sou suficiente?

O coração lá sabe, o que não sabe.