Chamada Na Madrugada…

Mais uma noite passa, e tudo começa a sumir, já não consigo escutar nitidamente o som dos teus passos a aproximarem-se da porta, e a tua voz a anunciar a tua chegada. Estou a perder-te.

Até os traços do teu rosto começam a apagar-se, todas as manhas eu acordava e via-te sorrir à minha frente, mas hoje acordo e é como que se a tua imagem me fugisse. E não sei como recuperá-la.

Eu preciso de ti, sinto a tua falta, estou sozinha e completamente perdida entre as quatro paredes do meu quarto. Estou a gritar tanto e ninguém consegue escutar-me. Estas paredes estão manchadas pelo sangue que se esvai do meu corpo, estou a morrer.

Eu procuro sinais, algo que me faça crer que logo voltarás, porém tudo me parece insignificante. Sonho contigo todas as noites, será alguma coisa? Às vezes acordo e ouço a tua voz, estarei a ficar louca? Às vezes na madrugada marco o teu número e ligo-te do nada, às vezes nem atendes, às vezes nem sei sequer o que quero dizer. Mas hoje foi diferente, atendeste, sem reclamar e hoje eu sei o que dizer:

Bem, é bom ouvir a tua voz, espero que estejas bem e se te perguntas, sim estou sozinha agora, perdida neste momento, o tempo só desliza e se me concedessem somente um desejo, eu desejaria ter-te ao meu lado.

Eu tenho tentado viver sem ti, podes escutar as minhas lágrimas caírem por detrás da linha? Estou vazia, só Deus sabe o quanto estou dilacerada por dentro.

Sentei cá fora no silêncio desta noite fria, ouço somente o ruído do vento e olho para as estrelas, espero que estejas a fazer o mesmo enquanto fumas o teu cigarro. De alguma forma te sinto mais próximo, quase te ouço a dizer que me amas também, ainda mais do que antes e sentes a minha falta.

Hoje não vejo o teu rosto, mas acredita que nada mudou, ninguém consegue ocupar o teu lugar e os dias só têm ficado mais difíceis. O brilho do teu olhar, o teu sorriso, ah o teu sorriso… eu queria ter-te comigo.

Volta, tu que sempre me conheceste tão bem e me compreendias, e me ajudavas a ver a luz entre as trevas, serás capaz de hoje ver a dor entre os meus sorrisos?

Volta, tu que sempre me deste a mão e nunca me deixavas cair, será que hoje não vês que as minhas pernas estão a ceder?

Volta, tu que me abraçavas e me protegias de todas as coisas más, será que hoje não vês que sem ti eu estou vulnerável ao mal do mundo lá fora?

Amo-te muito mais do que amava antes, e hoje não posso ver o teu rosto a sorrir-me, e cada dia é mais difícil estar sem ti.

Volta e vem sarar as minhas feridas, vem secar as minhas lágrimas. Abraça-me como da última vez, protege-me, diz-me que sou tua, diz-me que é para sempre, diz-me que não vais embora nunca mais.

Eu estou sozinha e preciso de ti. Não quero perder-te, volta logo para casa. Volta, por favor…

Tu és o único que me segura e sem ti o meu coração pára.

PORLetícia Brito
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...