Carta para o traidor do meu namorado…


Desapareces durante o tempo que te apetece e voltas de repente, julgas que não largo mão de ti, que me tens por garantida. Partes-me o coração e viras costas como se de nada se falasse, fazes de mim a tua gata borralheira.

Queres que limpe, cozinhe, passe a ferro. Queres aquela camisa engomada para amanhã e a gravata certa para levar com ela. Queres os sapatos a brilhar e bacalhau com natas para o jantar. Queres que deixe o café feito e as torradas com a quantidade perfeita de manteiga sem sal, porque se for uma outra qualquer, já não é do teu agrado. Queres um pijama lavado todas as noites e a cama sempre feita.

Queres que esteja presente para ti 24h por dia, 7 dias por semana. Queres abraços, beijos e amassos a toda a hora. Queres carinhos e amor. Queres companhia para ver o futebol sempre que a tua equipa joga.

Queres ir ali e acolá, visitar esta cidade, viajar para aquela. Queres tirar umas férias naquele país que tanto gostas e ir passar um fim de semana naquela casa de campo em que tanto falas.

Queres que compre leite, líquido da louça e pão fresco. Queres que vá com o gato à veterinária e com o cão cortar o pelo.

Queres ir comprar um fato, umas camisas e mais umas tantas gravatas, mas queres que vá contigo, para que te possa dizer o quão janota ficas.

Queres que aspire as carpetes e que limpe os vidros ao carro. Queres que coza a bainha nas tuas calças e que te aperte a camisa, apenas o suficiente para que mais alguém te ache sexy, para que tenhas hipótese de me trair novamente.

Queres que vá depositar os teus cheques, levantar as tuas encomendas, pagar as tuas contas. Queres que passe num multibanco e que te carregue o telemóvel, para que tenhas saldo para mandar mensagem às tuas amigas a dizer que estás sozinho por casa.

Queres manter-me ocupada, tapar-me os olhos e os ouvidos, queres fazer de mim mais uma das tuas jogadas tardias.

Julgas que não ouço nem vejo, que ando sem saber. Perguntas porque não saiu mais vezes de casa, porque te ignoro e porque nem sempre atendo as tuas chamadas.

Não sabes como consigo andar sempre ocupada e como é possível não ter tempo para ti.

Achas que me tens, que te pertenço, que faças o que fizeres, vou estar lá sempre para ti. Achas que és a melhor coisa que me aconteceu, um orgulho para mim.

Orgulho é saber que um dia o meu filho terá mãe e pai, mas os teus só vão existir quando o dinheiro da mamã acabar e o bebé precisar de fraldas.

Não me interpretes mal, não te desejo miséria nenhuma, apenas que sejas feliz com a mulher com estás, seja ela qual for hoje.

RECOMENDAMOS