Carta Para A Outra (Que Me Odeia)

Olá “miga”,

Não sabia como começar esta carta sem ser cruel, sou uma mulher politicamente correta, mas deverias saber que simpatia não é o meu forte e não vou forcá-la só para não te magoar. Até porque não me importo com o que sentes por ele, nem com o que vais sentir quando o teu coração se despedaçar depois de descobrires toda a verdade.

Ele não me ama, eu sei! E tu vais repetir isso um milhão de vezes para ti e para mim. Mas ele também não te ama! Achas que amar é descartar-te à primeira oportunidade? Manter-te anos na sua teia e atacar só quando convém?

Achas que amar é rejeitar-te, trocar-te e voltar para ti com a desculpa de que o destino conspira contra vós e que eu sou a ex obsessiva que vos quer separar? Longe de mim, querer separar-vos, sempre o amei e não faria nada que o magoasse, mesmo que isso significasse vê-lo partir para os teus braços, porque amor para mim, é quando sacrificamos a nossa felicidade pela felicidade de quem amámos.

Mas se acreditas que o que ele sente por ti é amor? Parabéns, és mesmo burra!

Ele ligou-me no outro dia, tem-se mantido em contato comigo, novamente! Eu sei o que ele quer, fazer de mim a outra, pela milionésima vez, assim como tem feito contigo. Sei que é por isso que me odeias tanto, por saberes que no fim da história ele corre sempre para mim, e é por isso que eu não me importo com a tua dor, porque sei que quando ele corre para ti, tu vens esfregar isso na minha cara para me fazer sofrer e vangloriares-te de que o ganhaste mais uma vez, como se ele se tratasse de um troféu.

Nem tu, nem eu, nascemos para ter um final feliz ao lado dele. Sinto-me tão burra quanto tu, pelo simples facto de saber que temos algo em comum, um amor danado por esse playboy.

Sinto-me tão burra quanto tu, por deixá-lo ficar quando ele vem, porque não importa por quem ele me troca, se é sempre para mim que ele volta. Também pensas assim não é?

Mas afinal de contas, é esse playboy que alimenta as nossas vidas, não te odeio só porque me odeias, não te odeio por seres a outra, porque nesta história, eu sou a outra também. Não te odeio por te ver feliz ao lado dele.

Odeio-me por ser incapaz de mandá-lo embora quando ele chega de mansinho com aquele sorriso de malandro treinado. E ele, ele sabe que eu já o conheço bem, melhor do que tu, porque eu sei que ele não me ama, mas sou louca por ele, mas ele vem e sabe que eu cedo, porque alguns amores levam-nos à ruína, o desamor dele mata o meu amor-próprio e o amor que tenho por ele, mata a minha decência.

E é por isso que ele te deixa, porque sabe que é fácil fazer-te ceder, porque tu vais acreditar nele, mesmo que eu diga que passamos esta noite juntos e ele sussurrou que me ama e que tu fazes parte do passado.

Não te culpo nesta história, tu és a ingénua que vai acreditar nele mesmo que a verdade dance nua na tua frente e eu sou a inteligente. Inteligente de mais para saber que o que ele sente não é verdadeiro e burra de mais para deixá-lo voltar para mim.

Espero que um dia aprendas, até lá, podes continuar a odiar-me e a espalhar que eu invejo o vosso amor? Podes continuar a amar sozinha, como eu amo também.

PORLetícia Brito
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...