A carta que nunca receberás…

“Olá cagadito, bem, antes de mais, fiz esta carta, não com a intenção de a receberes mas sim com o propósito de desabafar, porque eu sei que contigo, eu poderia dizer, fazer, discutir, nem falar sequer, tu entendias-me.

Não há um dia em que não pense em ti, parece que me persegues para todo o lado, até me sinto segura assim. Não tenho razões para estar chateada contigo, fizeste-me tão feliz, os dias mais felizes da minha vida, até hoje claro.

Mas parece que sinto na obrigação de estar aborrecida, e na realidade eu estou é deprimida e triste.

Admito que tenho saudades de tudo, sem uma excepção sequer, de quando olhavas para mim a sorrir durante minutos e quando eu olhava para ti tinha esse sorriso lindo a olhar para mim. Tenho saudades de uma mensagem tua de manhã, tarde, noite, madrugada ou até mesmo aquela chamada só para me acordares, chateares, melgares, fazeres-me sorrir. Tenho saudades das tuas azias, tenho saudades tuas. Sei que me deixaste e isso magoa-me muito, mas não posso correr o risco de sentir a tua falta a minha vida toda, eu sinto a tua falta, e isso estraga-me os meus sorrisos, estraga-me tudo aquilo que pode me fazer feliz. Por isso sai da minha vida, tens que sair, não te quero para sempre, se for para sempre que seja comigo e não nas minhas memórias destruídas, quero-te comigo para sempre mas ao meu lado, e não a deitares-me abaixo.

Obrigada por todos os momentos, mensagens, chamadas, webs, obrigada por todos os sorrisos que me deste, obrigada por hoje me pores um sorriso na cara só por te ver a sorrir, obrigada por teres entrado na minha vida mesmo que isso tenha feito uma bagunça enorme, mas acabou. Pois todos os sorrisos que me deste quando foste embora foi como se tudo saísse de mim, ficou um vazio, com um buraco, enorme com todas as melhores memórias da minha vida, foi o que restou, a saudade.

Espero que não tenhas encontrado ninguém que te faça feliz, e se encontras-te que acabe depressa, pois não suporto ver-te feliz sem ser do meu lado!
Eu amo-te, espero que seja até pouco tempo… Duvido!

Lembra-te, amodoro-te.”

PORRafa
Partilhar é cuidar!