Carta de um ex “lucky guy” para a sua ex-namorada

Só te peço que leias até ao fim.

Juro que pensei montes de vezes se devia escrever algo e até como iria começar …

Eu sei, já venho tarde, estou num momento em que nada me devia levar a pensar em ti.

Desde aquele momento em que bati a porta de casa direto para a estação mais próxima que nunca mais me senti o mesmo.

No momento em que bati a porta metade de mim saltou para dentro de casa. E eu senti-me tão vazio. Saltou a parte que dava sentido à minha vida, sabes?!

Tenho a certeza que a deixei contigo.

Levei as malas com toda a minha roupa, mas deixei aquela minha camisola que era a tua preferida, aquela sabes?! A qual dormias sempre, fazia-te dormir melhor dizias tu. Deixei-te também as bagagens das memórias, deixei só algumas das tantas que temos juntos, só para te lembrares…como eu me lembro todos os dias desde o dia em que bati com a porta.

Lembro-me todos os dias de como é o teu sorriso, esses lábios finos e os dentes brancos a fugir para o amarelado e o que tu refilavas por não conseguir fazer com que os dentes ficassem brancos para sempre, era hereditário, mas ficavam-te tão bem. Sei ainda de cor cada traço da expressão do rosto quando sorris, nunca te contei mas eu passava horas a ver as tuas fotografias até que decorei o teu sorriso e agora é esse mesmo que não me sai da cabeça. Porque tu até a falares sorrias.

Trago comigo as manhãs em que me acordavas com festas na cara e um beijo na boca, mas tenho também em mente todas as vezes em que preferiste a almofada ao beijo, em que as festas na cara passaram a ser moches no corpo, e eu não me esqueço que ainda me tenho de vingar disso.

Aliás ainda tenho a lista guardada, de tudo o que te devo e de tudo o que tenho de me vingar. E mesmo passado este tempo todo não as deitei fora, porque tenho a esperança de que irei precisar delas, um dia.
Guardo o som do teu riso, pode parecer impossível mas ele preenche o vazio do meu quarto à noite quando me vou deitar. Sempre te disse que era o meu som preferido e trouxe-o comigo.

Podia tê-lo deixado juntamente com a outra metade de mim que deixei dentro de casa mas esta outra metade precisa de algo para (sobre)viver.

Tenho comigo todas as noites em claro juntos e todas as vezes que preferiste ficar em vez de ires com os teus amigos sair. Sempre foste muito protetora e repetias várias vezes que só eras com quem realmente amavas e digo-te, fazia-me sentir tão bem. Como se estivesse em casa.

Tive a sorte GRANDE de ter a Mulher (per)feita para mim e que eu pudesse chamar de Minha porque realmente pertencias-me, pertencias porque querias, porque era bom estar comigo, porque me amavas. E não há melhor sentimento no mundo.

Todos os dias recordo como era bom encontrar uma mensagem tua, fosse num papel colado no roupeiro do quarto ou escrito no espelho da casa de banho. Tinhas a mania de escrever com o batom vermelho e eu só para te picar, um dia, comprei um azul bem forte e respondi-te no espelho como se de uma folha se tratasse e tu aproveitavas-te e mandavas-me limpar o espelho, “brincadeiras de meninos” resmungavas tu e eu amava-te.

Não eras romântica por natureza mas mostraste-me que só quem tu escolhias merecia ver o teu melhor lado, aquele que só eu conheci tão bem, só eu fui tirá-lo lá do fundo onde ele estava magoado e sozinho. E agradeço-te pela oportunidade, todos os dias.

Ainda tenho comigo o primeiro dia em que te conheci, podes pensar que não mas tenho. Guardo-o no melhor lugar no meu coração.

Já te disse que me conquistaste assim que riste da piada do professor? Foi um riso tão sincero que me fez acordar para a vida e querer-te ter comigo.

Sim, aposto que com isto te lembraste das vezes que me deste para trás e eu ainda continuava a insistir não é? Claro, mas claro que não me esqueci “menina difícil”. Foi isso e tantas outras coisas que conquistaram o meu coração que não fazes ideia.

E como sempre te referi tens um coração de ouro. A tua maneira de levar a vida e de seres como és, dita a verdadeira pessoa que te tornaste. E cada vez estás mais linda. Por dentro e por fora.

Esta carta poderia servir para te tentar conquistar novamente mas sei que não vou conseguir, porque primeiro magoei-te, mesmo indiretamente e sem o querer ter feito magoei-te, e porque segundo não te mereço.

Deixei que terceiros ditassem o fim da nossa relação e acobardei-me por detrás deles.

Simplesmente não mereço ter alguém como tu comigo, infelizmente.

Só queria que esta pequena carta (pequena sim, comparada com o amor que ainda sinto por ti é pequena) te fizesse ver-me com outros olhos afinal eu ainda sou aquele por quem te apaixonaste um dia, agora mais vazio mais sozinho mas é só porque tens a outra metade de mim contigo.

Neste momento tenho alguém, auto titulasse de minha namorada. Ela não é a tua pessoa e tão pouco chegará aos teus pés, ao teu longo caminho ou à tua maneira de ser.

Mas sente por mim um amor incondicional, como ela costuma dizer. Mesmo não sendo correspondido.
Mas ela não sabe, não a quero magoar, só quero esquecer-me de ti. Só não consigo, não sei porquê.
Como disse no inicio da carta nada neste momento devia levar-me a ti, nem a tua foto que guardo na carteira já há muito tempo, nem qualquer texto que me passe pela vista e tão pouco deveria apetecer-me escrever-te alguma coisa.
3 Anos passaram. 3 Anos, porra!
Tenho tanto para te dizer, tanto para te mostrar, desculpar-me e fazer ver-te que a forma como bati a porta foi tão aquilo que eu não era. Mas não restaram opções.

Tu e a tua mania de ser forte e ter só uma palavra para as situações e o meu orgulho ..não tomaram vergonha na cara e continuaram firmes.

Eu tenho uma palavra para ti: Amo-te, para sempre. Mesmo que sejam 3.

E agora tenho que terminar esta carta pois tenho de ir deitar-me, e vou para a cama que viu os nossos sonhos durante noites a fio, a qual ainda tem o teu cheiro, ainda tem o molde do teu corpo no lado direito e onde não dormiu ninguém para além de ti (como posso eu não lembrar-te de ti se até a minha cama me trai?), e vou rezar que amanhã tenhas a decência de ler isto.

Espero que este texto de algum modo mexa contigo como eu um dia consegui.

E para que não restem dúvidas, eu estou aqui. E desculpa-me por tudo.

Sei que não vais responder-me, aliás nem era teu se o fizesses mas eu ainda tenho a estranha mania de acreditar em ti e acho que é isso que me guia todos os dias.

Obrigada.

Do que foi e agora já não o é , “lucky guy”.


RELACIONADOS




PELA WEB

Loading...