Carta de resposta ao atual da minha ex.


A mulher que agora dizes que tens, chegou a mim, mimada e obsessiva…
Vou tratar-te por João porque assim assinaste, mas tu não és o João. Tu és a representação do atual da minha ex. namorada.

Por isso como representação do ex. vou-te responder.
Antes de tudo, fico contente por teres ouvido tantas vezes o meu nome. Fico a pensar que nem tudo o que fiz por nós foi em vão.

Sabes… Ouvi tantas vezes ela a dizer que me ama, tantas mas tantas, que sempre lhe disse que ela não se devia fixar só no suposto amor e numa paixão que podia ser ou não. Devia focar-se no futuro, garantir que sorria todos os dias e nunca desistia dos sonhos.

Pois é, tens uma mulher? Que bom… Eu tive uma miúda obsessiva que teve de ser ajudada a crescer. Sabes que eu tive que lhe dizer muitas vezes que a vida não era só eu? Sabes que que lhe tive de explicar muitas vezes como crescer? Sabes o que custa dizer a alguém que amas, que tem de viver a vida…? Definir objetivos profissionais, perceber os outros, perder a vergonha, não desistir facilmente, chorar, sorrir e rir sempre que for preciso, não mentir…

E olha, os anos foram passando e eu cada vez a ama-la mais. Imaginas o que passamos? Imaginas o que passei, ou só sabes uma parte da história? Sabes que enquanto ela se foi tornando mulher, que agora tens, ela me foi traindo aos poucos? Sabes que enquanto eu ía perdoando ela cada vez me amava menos?

Sim, João. Mentir. Mentir é tão feio, é tão mau que doi tanto, tanto. E queres que te diga mais? A maior mentira, a maior traição foi quando ela se tornou mulher. Quando depois de tudo o que eu lhe ensinei ela me traiu da pior forma que tu podes imaginar.

E aí, eu decidi que não, tentei seguir a minha vida, mas não consegui. Tentei a todo o custo perdoá-la, mas sabes o que ela me dizia? Pois bem… Que não sabia se me amava… Sim, aquela miúda que só me via a mim à frente, e que eu sempre tentei dizer-lhe que temos de ver a vida como um todo e não ser obsessivos (amando-a tanto durante esses períodos), agora que eu a tentava perdoar dizia-me que não sabia o que era o amor. Mas queres saber o pior? Quando eu finalmente descobri alguém muito interessante e me apaixonei outra vez, ela veio-me dizer que me amava e que entre nós podia dar certo.

Graças a Deus que eu já estava bem e disse que não. E tu dás as mesmas graças porque agora eu descubro um novo amor (sim, isso é possível) e tu ficas com a minha ex. namorada. Pronto, pelo que percebo agora ela é uma mulher. Por isso, ao ler a tua carta, fiquei um pouco desiludido porque não me agradeces. Dizes que deves a mim a mulher que tens, mas falta um agradecimento pelo que eu lutei para que tu tivesses uma mulher a sério.

De resto, eu estou muito bem e muito feliz… Obrigado pela dedicatória e pela preocupação comigo.