Um brinde , meu querido !

Passou muito tempo desde a última vez que falamos, por isso talvez deva perguntar-te como andas, mas para ser sincera não me interessa muito. Desisti. Desisti de esperar por ti. Estava a tornar-se exaustivo.

Confesso que disse a toda a gente que fechei a porta, mas na verdade eu deixei a chave do lado de fora pra que pudesses entrar quando voltasses. Mas não voltaste. Porque? Questiono se a culpa terá sido minha.

O tempo (aquele nosso amigo que sempre te assustou) fez-me ver que a pessoa que me tinha conquistado tinha desaparecido. Perdeste-te. Perdeste o charme que me fazia suspirar. Perdeste os valores. Perdeste tudo. Não me digas que és como toda a gente diz.

Eu prefiro acreditar que usas uma máscara para eles, mas para mim sempre foste tu mesmo. Diziam que isto ia passar e que era apenas um coração partido. Mas não é. Dói-me o corpo todo. Estou completamente anestesiada.

É como se tivesses deitado tudo o que te dei ao ar, mas quando eu tentei apanhar já estava tudo em cacos. E aí o ar ficou vazio. Nesse momento passou na minha cabeça toda a nossa história. Eu pedia todos os dias para te arrependeres.

Eu tentei convencer-me de que quem perdeu mais nesta situação foste tu. Mas não foste. Para além de te ter perdido (se é que algum dia te tive) eu perdi algo que nunca me vais poder dar , tempo. A vida passou-me mesmo à frente dos olhos. Aprendi a lidar contigo, ajustei-me às tuas rotinas e orientei-me pelos teus horários.

Mudei tudo o que havia para mudar. Porque é isto que tu fazes. Chegas sempre quando não deves, no momento errado. És uma pessoa vazia demais, e é nestas alturas que eu pergunto o que é que vi em ti. A tua aparência por mais linda que seja não cobre a pessoa que tu és.

Sabes o que acho? Que cada vez estás mais parecido comigo. Mas desta vez abusaste, desiludiste-me mesmo. Tens um feitio horrível sabes? Atrevo-me a dizer que é pior do que o meu. Pensa no que andas a fazer, para teu próprio bem.

Continuas a achar que tens razão, e não tens a mais pequena ideia do que andas a fazer á tua vida, daí eu dizer que estamos cada vez mais parecidos. Espero que esteja enganada quando digo que ainda vais sofrer muito á pala dessas tuas atitudes.

Não te estou a julgar nem tenciono fazê-lo porque somos iguais! Tu ainda assim mereces mais do que eu que se preocupem contigo. Muda, para teu bem. Levanta o copo bem alto, um brinde a nós, porque o que eu tenho de rancor tu tens de cobardia. Um brinde a ti que sempre me enganaste, e um brinde a mim que ultrapassei isso e estou bem mesmo não estando.

Tchim tchim

PORBárbara R
Partilhar é cuidar!