Bombeiros sem Farda!

Olá, o meu nome é Mara e tenho 16 anos. Escrevo este texto não com objetivo de fazer com que tenham pena de mim, mas porque quero apelar à consciência da população sobre como é a vida de um bombeiro e da sua respectiva família. Os meus pais são ambos bombeiros e desde sempre que me lembro que como é mau ser filha de pais bombeiros.

Muitas vezes estávamos a ter um almoço em família e os meus pais tiveram de abandonar a mesa e ir servir a comunidade pois havia um acidente ou um incêndio. Ninguém sabe como é difícil quando isto acontece pois não? Ninguém sabe como é horrível estar de férias em família e ter de as acabar mais cedo pois está a haver um grande fogo e não há bombeiros suficientes para o ir apagar! Ninguém sabe como é horrível aquela sensação de ver os pais a ir embora sabendo que há uma probabilidade de não voltarem.

Já não posso contar pelos dedos as noites, dias, fins de semana inteiros que passei em casa dos meus avós pois os meus estavam de serviço, ou estavam num incêndio, incêndio esse que já dura há 1 semana e não se sabe quanto mais tempo vai durar, apesar de os bombeiros fazerem tudo aquilo que podem, mesmo que nem sempre seja o suficiente…

São poucos aqueles que apesar de não sentirem, compreender a dor de quem passa por isto. Cada lágrima derramada, cada pesadelo que não acaba, cada pensamento terrível, cada imagem que fica na minha cabeça. Ninguém sabe como é frustrante os meus pais abalarem para um incêndio onde já houve feridos e até mortos, e os bombeiros vão na mesma, apesar de irem com receio, vão, pois é o dever deles, nunca deixando de pensar naqueles que ficam em casa, rezando para que voltem bem.

Ninguém sabe como é mau estar na minha festa de aniversário e os meus pais terem de sair a meio por causa dos bombeiros, isto coisa que não aconteceu só uma vez. Quantas vezes eu ouvi os meus pais a discutirem por causa dos bombeiros…  E aqueles bons momentos que estamos a partilhar em família que são estragados porque alguém se sentiu mal ou uma casa começou a arder…

Não falo apenas por mim, mas pelos meus irmãos, pelos meus avós, por todos os pais, esposas ou maridos, por todos os filhos dos bombeiros de Portugal, que sabem que não é fácil ser bombeiro, pois apesar de não estarem no acontecimento são “bombeiros sem farda”. Mas para que andam todos nesta vida se depois não recebem nada em troca, se são criticados pela população e deixados de lado pelo estado. O bombeiro faz isto por “amor à farda” pois quantas e quantas vezes são criticados e ofendidos, quantas vezes ouvem dizer que fizerem o trabalho mal feito, ou que demoraram muito tempo…

Pois a que, diz isso tenho a dizer que os bombeiros são humanos, não são de ferro, e têm sentimentos, muitas vezes magoados por causa de pessoas que não dão valor. Quem e bombeiro não espera dinheiro, não espera nada mas peço a todos que ponham a mão na consciência e pensem, será que eu posso ajudá-los? Não é preciso muito, basta uma agradecimento, um simples obrigado muda o dia de um bombeiro. Não custa nada dar uma palavra de agradecimento àquele que salvou a sua vida ou a vida de alguém seu querido, pois para ele salvar essa vida teve que deixar a própria para traz, pois o seu lema é “Vida por Vida”.