Avô, uma vida a crescer…

Avô. Tu, foste tu que nos ensinaste a ser assim. Foste tu que, de uma forma ou outra estiveste sempre lá. Do teu jeito, resmungão. Avô, queria poder dizer-te Obrigada

Pela fantástico legado que me deixaste. Por nunca me teres deixado sozinha. Por estares lá, incondicionalmente. Por seres Pai, Avô e Amigo. Por nos brindares com as fantásticas viagens no kit, as tuas discussões do “eu tenho razão”, a tua forma de remodelar coisas estragadas. Ensinaste-me que nada é lixo. Tudo, de alguma forma, pode ser concertado. Não só as coisas, como os sentimentos. Para tudo, há uma solução, embora muitas vezes não seja aquela mais fácil de ver ou a que estamos mais habituados a usar. A tua persistência em ser exactamente desse jeito deu-me a capacidade para ver mais além. Transmitiste-me que o essencial é ser humilde… Não importa o que somos, o que temos, quem somos ou o que aspiramos na vida, temos que ser humildes. Porque é a humildade que nos leva a pedir desculpa, a admitir que erramos, a ver que podemos e devemos, sempre, ser melhores.

Esforço, dedicação e empenho, foram outras das coisas que me transmitiste… A nunca desistir. A acreditar que, mesmo que ao longe, existe sempre uma luz que nos guia, existe sempre outra forma de ver, de sentir ou de fazer. Desistir, pra ti, nunca foi, sequer opção, e… ensinaste-me isso. A ser, acima de tudo, lutadora. E a acreditar que, felizmente, todas as tempestades passam. De ti, vou guardar o sorriso e a forma como encaras a dificuldade, esse teu humor sarcástico… Não te dói sorrir, quando já te dói tudo? De tudo o que me ensinaste, deixa-me dizer-te eu uma coisa, não precisas de ser sempre forte. Para ti também há a luzinha ao fundo do túnel. Ensinaste-me coisas boas. Ensinaste-me a sorrir, incondicionalmente.

E desculpa, se nem sempre acredito que sorrir é o melhor remédio. Desculpa se, por momentos, eu também deixo e acreditar. Desculpa, principalmente, por nunca te ter dito tudo isto, por ter guardado pra mim e achado que saberias, mesmo que eu não dissesse. Nunca te disse, mas de todos os que via na televisão, tu sempre foste um dos meus super-heróis favoritos, principalmente porque me salvaste a mim. Deste-me as ferramentas necessárias para me tornar o que quisesse. Escolhi ser assim. Sei que te orgulhas. Tal e qual como espero que saibas que me orgulho de ti. Ensinaste-me a lutar e agora…. agora é a tua vez de me mostrares como se faz. É a tua vez de, mais uma vez, mostrares à vida de que massa são feitos os lutadores.

Sabes onde vou estar? Aqui. Bem perto do coração, e sempre, bem dentro de ti. Porque foi aí que me ensinaste a guardar as melhores coisas, no coração. Onde, mesmo que ninguém as veja, elas estão e vão continuar sempre lá. Porque tempo nenhum apaga o que é verdadeiro. Não prometas, mas fica. Amo-te!