A mulher pode tudo o que quer, conquista tudo o que deseja!

O coração de uma mulher bate por mil razões, é insaciável procura emoções fortes. Se não encontrar as emoções, não vive. Odeia a vida monótona.

A mulher é comandada pelo coração, não pelo cérebro. Evita ouvir o que a consciência certa lhe diz para fazer. A razão sensata por vezes não lhe oferece o que deseja. Procura o perigo dentro de si mesma. Enquanto, as pessoas ao seu redor, julgam ver a mulher totalmente comportada e sem um vestígio de malícia. A adrenalina de parecer o que não é torna-se um tanto divertida, mas pode ser uma tortura em certos momentos.

O coração de uma mulher pode ser ferido gravemente, mas o sorriso acompanha-a, tapando o ferimento existente. Enquanto isso, procura um anestésico num livro, numa música, num passeio, seja onde for, procura desesperadamente anestesiar a dor para mentir melhor. A mulher tem o dom de ser vulnerável sem parecer sê- lo. Durante a madrugada chora, sofre e reclama com a almofada, para finalmente adormecer exausta. Uma actriz nata que acorda e representa uma felicidade que não sente. Veste sempre o seu melhor sorriso.

Enfrenta um dia, com um sorriso nos lábios em cima de um salto alto e a alegria representada contagia as pessoas ao seu redor. Embora, os seus olhos mostrem claramente uma dor profunda, que corta como uma faca no peito aberto. Ainda sobra tempo, para abrir o seu melhor sorriso, para um amigo que precisa do seu sorriso. Guarda os seus dramas no bolso e resolve o problema dos amigos. É o porto seguro, mas ninguém repara que ela também precisa de um.

A mulher é frágil como uma criança, não na sua imaturidade e inocência, mas na sua necessidade de afecto, de atenção, de uma palavra amiga, de um vai ficar tudo bem, eu estou aqui contigo. Ser mulher significa sentir tudo com intensidade, seja nas horas de dor e na felicidade. A mulher transborda emoções e contagia.

O coração de uma mulher, ama sem deixar partes por doar ao ser amado. Quando ama, nada a impede de amar, mesmo que seja errado, mesmo que seja proibido, mesmo que não seja correspondida, ela ama simplesmente. Convive com as críticas aos seus actos. Ser mulher é saber erguer- se no meio de uma guerra interior. Seja no que for, nada a impede de reconstruir os restos que a guerra destruiu. Porém, não volta a ser a mesma, porque aprendeu ou sofreu demasiado.

O coração não cede tão facilmente, como antes de ser aberto. Este cicatriza, mas a memória do que viveu e sentiu perdura.

A mulher tem super poderes, é a heroína dos que com ela convivem. A uma ameaça de sofrimento, ela vai e aniquila a dor do outro. Ela tem o dom de dar um conselho e não seguir os próprios.

A mulher é um ser misterioso, que fala com o olhar. A única que conhece todos os tipos de olhares, conversam com outras pelo olhar, faz um comentário sarcástico através dele, sem pronunciarem uma só palavra. Ninguém ao redor entende, mas tudo foi dito. Em tudo o que ela toca se transforma, sempre retribui em dobro.

Se uma mulher está feliz retribuirá a sua felicidade, caso contrário, se estiver triste pode ser amarga em dobro. Nenhuma gosta de o ser, não é?

Somos complicadas, travámos lutas diárias, sorrimos, sofremos, somos extremamente sensíveis com uma capa de duronas, somos confundidas como antipáticas, rebeldes, seja lá o que for. Só não atravessam o muro para conhecer o lado verdadeiro.

Nós sempre teremos uma batalha por travar.

Ser mulher é ficar indecisa, no que vestir em determinado dia. Primeiro percorremos o dia mentalmente, para influenciar na escolha da roupa, do batom, o penteado, o tipo de sapato.

Ser mulher é acordar e fazer mil manobras para ficarmos prontas a tempo e ainda fica algo por fazer. Ouvir um «despacha-te» e repetir já vou!

Quem disse, que ser mulher é fácil?

Sem falso moralismo, a mulher pode tudo o que quer, conquista tudo o que deseja. Os sonhos não cabem dentro de si, logo expulsa-os para o mundo real. Enquanto, cria outros para conquistar. Vive em constante movimento sobre a ponte dos sonhos e da realidade.

Ser mulher é pertencer ao sexo mais forte. Já imaginaram os homens passar por cólicas, trabalho de parto, preocupar-se com a imagem, ter sensibilidade à flor da pele, sorrir depois de uma madrugada de lágrimas?

Pois é…

As mulheres são o poder!