E assim de arrebate, todas as nossas convicções mudam.

E o que dizíamos querer, já não queremos.
De arrebate te quero, em contrário do que a minha frieza dizia. E dou por mim a contar cada dia para te ver de novo.

Como eu gostaria de explicar, até a mim, esta vontade de ti. E quantas vezes pergunto ao vazio, o que fizeste em mim, como conseguiste quebrar o que ninguém conseguia? Como quebraste o titânio que me consumia? Alterando todas as minhas teorias e caminhos traçados. Como substituíste em mim o fel pelo mel? Como derreteste todo o gelo? A ponto de me transformares em chamas.

Sem um retorno, sem uma explicação me entrego todos os dias. Quero-te todos os dias e mantenho-te em mim. Na minha mente, onde revejo cada traço teu e cada momento nosso. No meu coração, onde te cuido com todo o meu amor. E no meu corpo, onde guardo cada toque teu.

E assim vivo agora , apaixonada por ti, com saudade de ti, com vontade de ti, ansiosa por cada segundo em que falamos em silêncio.

Amor, eu não sei explicar porque te quero tanto, apenas te posso garantir que cada arrepio, cada sorriso, cada saudade e desejo, são verdadeiros. E não quero que nada disto acabe. Que estou feliz, e que a ausência de uma explicação, pelo qual eu te quero, tem um motivo.

É porque te amo! E o amor não tem explicação!