Apenas o amor ficará…

Estou na cama. Meio doente, meio cansado.
Mas a ouvir o vento a assobiar lá fora. E a assombrar-me.
“Não! Não tenho medo!”, tento convencer-me, mas sem sucesso.

Apesar de estarem longe, os fantasmas do passado ainda tentam brincar comigo.
Ralham. Ameaçam. Fazem de mim… nada.
Não! Eu já não sou uma criança. Já não sou a pessoa que era antes.
Já não sou! O fraco desapareceu! Morreu!

E que o vento bata na minha cara! Não hesite! Que me venha enfrentar!
Agora, tenho forças, um coração que sente e que berra até ficar rouco!
Agora, desde o momento em que me entreguei a ti, nada me faz temer, tremer, chorar…
Apenas chorar de felicidade!

Deste-me coragem, força de vencer! Deste-me garra e um corpo para defender!
Que venham todos os fantasmas do passado!
Ainda os receio, mas agora… agora luto por mim! E pela minha felicidade!

E, contigo do meu lado, nada nos derrubará! Nada nos destruirá!
Apenas o amor… ficará…