Apaixonada…

« Já tinha passado a meia-noite, aliás já tinha passado muito tempo dessa hora. Lá fora já não se escutavam os gritos de euforia causados pelo início de um novo ano. E numa sala onde amigos se reúnem numa festa de fim de ano, isto acontece… »

“- Alguma vez estiveste apaixonada?”

Para mim, a paixão é uma coisa muito relativa ou melhor, sempre o foi. Julgava que a paixão era uma coisa passageira… Até porque eu me apaixono todos os dias. Seja por objetos de que goste ou que me chamem a atenção, seja por olhares que desconheço mas que julgo como sendo apaixonados e por isso me apaixonem também, seja por palavras ou até por locais que gostaria de visitar.

E agora que penso nisso, tu ensinaste-me uma lição valiosa e fizeste-me perceber que quando a pergunta é se já alguma vez me apaixonei, então a minha resposta é sim, com toda a certeza que existe no mundo. Eu apaixono-me todos os dias da minha vida. Eu apaixonei-me por ti, no total, crescendo esse sentimento de dia para dia.

Por isso, sim, já alguma vez estive apaixonada e continuo…
Apaixonei-me lentamente pela tua barba e tu sabes que nunca nenhuma outra me interessou. Apaixonei-me pelo teu sorriso, mais ainda quando sou o motivo dele.

Apaixonei-me pela tua covinha esquerda linda e pela falta da tua covinha direita (só para fazer contraste com a minha). Apaixonei-me pelas rugas que crias na testa sempre que utilizas o teu ar de cachorrinho mal morto para conseguires o que queres. Apaixonei-me pelo teu toque e conheço-o já tão bem. Apaixonei-me pelo teu olhar. Porra! O teu olhar…

Eu amo o teu olhar que me acalma, que me salva, que me tira todas as dúvidas quando estas teimam em surgir. O teu olhar que se prende tanto ao meu, que me surpreende tanto e que me diz tanto mesmo sem ser necessário o uso de quaisquer palavras.

Apaixonei-me pelo teu abraço, pela tua proteção. Apaixonei-me pelos teus lábios.

Apaixonei-me pela nossa promessa. Apaixonei-me pelas tuas falhas. Apaixonei-me pela história da tua vida que agora é a nossa vida. Apaixonei-me pelas cicatrizes que encontro mesmo quando tu as desconheces. Apaixonei-me por te fazer feliz e por ser tão feliz contigo. Apaixonei-me pelos teus sinais. Apaixonei-me por te conhecer de olhos fechados (e por fechá-los agora, enquanto escrevo, sempre que tento relembrar mais alguma coisa em que me apaixones e por saber-te assim de cor).

Apaixonei-me pela tua voz, (principalmente ao acordar). Apaixonei-me pelas vezes em que me fazes sentir linda mesmo quando me sinto um caco. Apaixonei-me pelas vezes que acordo durante a noite e posso observar-te enquanto dormes, enquanto sonhas comigo vulneravelmente, ou pelas vezes em que o tempo para enquanto observo detalhadamente cada ação tua, cada gesto teu e apaixono-me mais ainda só de pensar em ti. Apaixonei-me pelo bater do teu coração.

Apaixonei-me pelo primeiro beijo roubado e tão desejado. Apaixonei-me pelas coisas que me ensinas, por este lado da vida que desconhecia e que agora tanto adoro. Apaixonei-me pela cara que fazes quando estás chateado. Apaixonei-me pela tua gargalhada idiota.

Apaixonei-me pelas tuas imitações estúpidas. Apaixonei-me pelo som dos nossos risos que entoam pelas ruas. Apaixonei-me por conseguir ser tão eu, tão própria, quando estou contigo. Apaixonei-me por te pertencer e mesmo assim saber que tenho o mundo aos meus pés. Apaixonei-me por ti. Por ti e só por ti.

Sim, já me apaixonei. Aliás, continuo apaixonada por ti. Completamente. Perdidamente. Loucamente.

E o melhor é que com esta paixão sou tão feliz!

“- (…) Já.
– É que eu estou completamente apaixonado por ti!”


RELACIONADOS




PELA WEB

Loading...