Aos que amamos.

As pessoas escolhem-se. Há as que tocam e há as que nos passam completamente ao lado. Há as que nos deixam chegar até elas e há as que de igual modo desejam chegar até nós.

Eu escolho as minhas pela cor da alma. Pelo olhar. Pelos gestos. Pelos abraços. Pelo coração.

Não conto em número as pessoas que gosto mas tenho uma boa coleção de pessoas de quem gosto. Cada uma especial à sua maneira. Umas mais perto, outras mais longe mas todas a uma boa distância visível do coração.

Há pessoas onde me faz sentido “parar” e amar. E a essas pessoas chamo família e amigos.