Ao Menos Sabes O Que É Um Coração?

Quando tudo parece estar a resolver-se, quando começo a reaprender a viver sem ti, a sorrir… tu reapareces!

Não bastou teres destruído o pouco amor-próprio que me restava, teres-me atirado bem para o fundo do poço, teres-me tratado como se eu fosse lixo como também quiseste impedir-me de seguir em frente e amar de novo, sorrir e viver com vontade. Odeio tanto esses teus joguinhos sujos, essas tuas palavras bonitas, os teus truques baratos que usas para me fazer cair aos teus pés novamente.

Não foram suficientes as lágrimas que por ti chorei?

Não te chegaram todas as noites que passei em claro à espera de um telefonema?

Não te fez feliz o facto de partires o meu coração um trilião de vezes?

Precisavas voltar para me fazer chorar mais e mais, para me fazer ficar noites acordada, a rebolar de um lado para o outro na cama, a olhar a tua fotografia que não tive coragem de queimar e a aguardar cheia de esperanças um telefonema, poderias até tratar-me mal, eu só queria que tivesse ligado… precisavas!?

Porque voltaste, se a tua intenção nunca foi amar-me?

Porque voltaste se tu próprio me disseste que não mais me querias?

Porque voltaste se dizias estar feliz com outra?

Porque voltaste? Para me iludires com promessas vazias, e no final fazeres-me chorar e sofrer, jogares-me contra a parede e pontapeares o meu coração com palavras cruéis?

E depois vais embora sem explicação, fazes-me sentir culpada dos erros que tu cometes, das porcarias que fazes sempre. Que desfaçatez a tua! E ainda assim eu sou capaz de dizer que te amo, acreditei ter superado todo o sofrimento e aquele sentimento que me ia corroendo a alma, enganei-me! Fui traída pelo meu próprio bom senso. Não sei porque fui capaz de acreditar que um dia irias mudar, sinceramente…

És despojado de sentimentos, não tens coração, ao menos sabes o que é um coração? Não, não é aquele músculo que tens dentro de ti a bombear o sangue e a manter-te vivo. É aquela coisa que inexplicavelmente faz-te sentir amor? Oh, mas tu nem sabes o que é amor!

Surpreende-me apenas a forma como me fazes mudar de ideias quanto à tua pessoa, sempre que resolves voltar… Onde aprendeste a agir desse jeito? Quem te ensinou a brincar assim com o coração dos outros? Permanece em mim apenas uma dúvida e uma esperança inútil. Será que um dia vais mudar? É que ridiculamente ainda acredito nisso.

PORLetícia Brito
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...