Ano novo, vida nova!

Silenciosamente corro de mim, não paro, não escuto, não vejo. Até voltar. Entendo que nada do que sei, sinto e vivo é real.

Porque afinal o que é a realidade? Começa em ti e independentemente do rumo e do trilho que escolher, ela espera. Até ao teu retorno. O debutante, que pulsa ao ver-te. O término, que chora ao não sentir.

Mas porque partes? Se me deixas aqui. Porque partes se sabes que a tua vida foi a melhor parte da minha. Não me deixes. Não me voltes a abandonar. Estou só. Vazia. Não te encontro porque nem te vejo e se vir, serás mesmo tu? Ou apenas a lembrança de um coração que ferido, deixaste aqui?

PORLiliana André
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...