Amores descartáveis!

Não sei qual motivo te levou a essa decisão, o quão grave é, o quanto você já relutou e quantas noites de sono perdeu analisando a relação de vocês. Realmente não sei e quem sou eu para te julgar. O que proponho é que tu repenses. Faça uma retrospectiva e coloque na balança tudo que já viveste ao lado dele. E aí, pra qual lado pesa a balança? Vale a pena lutar por essa relação?

A resposta você já sabe. E até tem curiosidade em saber como anda o mundo dos solteiros após tanto tempo “amarrada” a alguém. Suas amigas solteiras vendem pra você que estão vivendo um sonho. É tentador, não?! Ô se é, ainda mais após anos ao lado dele, que já não é aquele príncipe que parecia no inicio. A relação caiu na rotina. Se bobear o eu te amo ate perdeu significado. Viraram palavras que já não tocam o coração.

Mas reserve um tempinho antes de decretar o fim.

Ao decidir pelo adeus, saibas que um amor igual a este não viverás. Para o bem e para o mal. E cabe a mim lhe informar: estamos na era dos amores descartáveis.

Poucos se esforçam para manter a chama ardendo. Você sabe bem o quanto é trabalhoso. Há amor, e muito, mas os anos desgastam. A rotina cansa. E o fim, que sequer era cogitado, passa a ser opção. Então você começa a pensar se não seria mais fácil recomeçar do que ajeitar uma relação recheada de vícios.

NÃO É! É tão difícil quanto. O tipo perfeito que você imagina não existe. Amor não se encontra na prateleira do supermercado. Se fosse assim tão fácil o clube dos solteiros não existiria.

ENCONTRAR O AMOR DA SUA VIDA NÃO É ASSIM TÃO FÁCIL.

Se na sua época já estava difícil, você não tem ideia do quanto está hoje. É tipo missão impossível. Não se engane com os “eu te amo” que pipocam nas redes sociais. As relações atuais dificilmente ultrapassam um ano. Casar virou artigo de luxo. Diante de tantas opções, todos viraram descartáveis.

Amores vêm e vão em meses. O adeus é dito sem remorso logo na primeira crise. Julgam ser mais fácil encontrar outro “amor” ali na esquina do que consertar este que juraram ser eterno. Mal sabem eles que amor requer tempo e dedicação. Historias de amor igual à de nossos avós serão cada vez mais raras no futuro.

Você já ouviu falar no “eu futebol clube”? As relações estão mais ou menos assim. Falta compaixão e sobra orgulho. Voltar atrás e se desculpar não é uma opção, pois estaria demonstrando fraqueza. Ama-se menos para ter controle da relação. Vem cá! Como é que se ama menos?

E não vá pensando que manipuladores sentimentais são poucos. Diria que são maioria. Suspeito que são covardes. Morrem de medo de amar. Ou, na pior das hipóteses, sujeitos com algum distúrbio, capazes de despertar amor em alguém sem intenção real de ama-la.

Percebeu o que te espera lá fora?

Então pense, repense. Abra o jogo com ele e coloque o pingo nos “is”. Por mais que ele odeie, discuta a relação. Tente. Insista. Você sequer desconfia, mas ele pode estar cogitando a mesma opção que você. Desista quando esgotar as possibilidades.

Só vocês sabem se ainda há sentimento. Mas, caso houver, peço que lutem por ele. Mantenham a chama viva. Reciclem esse sentimento e garantam uma linda historia. Digna de ser contada aos seus netos.