O que é o Amor?

Em uma pequena escola primária fora deste país, dentro de uma sala de aula, havia algumas crianças, quando uma delas muito curiosas perguntou:

-Professora, o que é o amor?

A professora ficou por alguns minutos pensativa e sentiu que a criança merecia uma resposta à altura da pergunta tão inteligente que a criança tinha feito, e como já estava perto da hora do intervalo, pediu que cada aluno depois de lanchar desse uma volta pelo pátio do recreio da escola e trouxesse algo que mais despertasse neles o sentimento de amor.

Tocou e as crianças saíram apressadas para o recreio, ao voltarem cada criança sentou-se em círculo no chão, e então a professora disse:

-Quero que cada um, organizadamente mostre ao resto da turma o que trouxe consigo.

Então a primeira criança disse:

-Eu trouxe esta flor, cheira muito bem e é linda.

Depois a segunda criança disse:

-Eu trouxe esta borboleta, vejam que lindas são as suas asas.

A terceira também falou:

-Eu trouxe este filhote de passarinho, que tinha acabado de cair do ninho da sua família.

E assim as crianças foram-se manifestado, até que terminou o diálogo e a exposição de coisas, e desta forma a professora constatou que uma das suas crianças que tinha ficado muito quieta, calada, e silenciosa o tempo todo, estava um pouco escondida, pois estava muito envergonhada, corada e receosa pois não tinha trazido nada.

A professora muito calmamente dirigiu-se a ela e perguntou-lhe:

-E tu? Porque não trouxeste nada?

A criança envergonhada respondeu:

-Desculpe professora, eu queria trazer mas não fui capaz. Vi uma flor que era linda, senti o seu perfume, pensei em arrancá-la mas preferi deixá-la para que o seu perfume durasse mais tempo e desse para todos os meus amigos. Depois também vi uma borboleta linda, leve e solta, ela parecia tão feliz assim que não tive coragem de a pegar e aprisioná-la para o resto da sua vida.

-Continuei a procura quando vi um pequeno passarinho caído entre as folhas, olhei a minha volta e notei o olhar triste da mãe dele e decidi devolvê-lo ao ninho. E assim professora trago tudo comigo, o perfume da flor, a felicidade e a liberdade da borboleta, e a gratidão e o amor que senti e vi nos olhos da mãe do passarinho quando o devolvi ao ninho, por isso não trago nada nas mãos mas sim no coração. Desta forma como posso mostrar o que trouxe?

Moral desta história: A professora elogiou a participação e o trabalho da turma, mas sobretudo a atitude desta ultima criança, pois ela foi a única a perceber que é só no coração que podemos trazer o amor, transmitindo-o em gestos e atitudes.

“Tudo o que amamos profundamente converte-se em parte de nós mesmos.”

” Ninguém pode dar aquilo que não possui. Para dar amor, você deve ter o amor.”

PORJoana G.Torres
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...