Amor – O outro lado!

Não entendo o que se passa comigo… nunca estive assim por ninguém. Sempre pensei que o amor era um exagero. Uma forma exagerada de sentir e querer a outra pessoa, fazendo dela a única na sua vida.

Agora que o descobri, apenas penso que é sofrimento, na sua grande maioria. Sente-se saudade…imensa saudade. Sente-se uma vontade incontrolável de estar com a pessoa amada, sente-se o cheiro dela como se estivesse mesmo ali ao lado… sente-se dor. Sente-se um aperto no coração. Sente-se uma vontade incontrolável de chorar, grande parte do tempo. Sente-se tudo o que não se devia sentir. Sente-se uma inutilidade tremenda, um sufoco, uma mágoa…

As recordações tornam-se um escape. Um escape idiota que leva a loucura. Tornamo-nos dementes e doentes. Doentes de saudade e de amor. A desorientação sobe ao nível máximo. Os olhos cansam-se de chorar. Assim como eu me canso, de tanto amor. E também o coração, de tanto amar. Chego a odiar-te. Juro, que sim.

Estou farta de sentir isto. Não o quero sentir, mas sinto. Não deveria ser assim… Costumo viver sensações: à noite, sinto o teu abraço, as tuas mãos a percorrerem o meu corpo, vejo-te a sorrir, ouço-te a rir e chego a sentir o sabor dos teus lábios. És tão doce… o teu sorriso é tão lindo, homem da minha vida.

Lembro-me de quando me fazias carinho no cabelo… de quando olhavas para mim daquele teu jeito terno e carinhoso… de quando me davas a mão. Essencialmente das nossas brincadeiras, que de certeza nunca as irás ter com mais ninguém. Parecendo que não, tínhamos uma grande cumplicidade. Tínhamos uma linguagem que só nos percebíamos, mais ninguém. Entendíamo-nos bem. Pelo menos tenho essa ideia.

Passamos grande parte do tempo a rir. Sabes…Quando te conheci, eras apenas um estranho. Pensei que eras Um rapaz como outro qualquer. Quem me dera que estivesse certa. Pelo menos não estaria neste momento com lágrimas a escorrerem pela cara, louca de amor por ti. Volta… mas volta para ficar.

PORAndreia Varela
Partilhar é cuidar!