Amo-te mas não te quero!

Estou a ressacar de ti amor mas não te quero mais. A tua ausência fez-me perceber que estava viciada em ti. A abstinência fez de mim alguém que não reconheço e abomino. Tenho medo de mim e de quem sou sem ti mas tenho muito mais medo do que sou contigo. Não te quero mais porque ter-te consome-me a alma, transforma o meu eu, deforma-me os pensamentos, faz-me esquecer do que sou e daquilo em que acredito a cada vez que peço mais uma dose de ti.

Rogo-te pragas por teres entrado na minha vida, expões o pior de mim! Maldito o dia em que me deixei seduzir por ti, maldito o primeiro momento em que provei de ti. Quando te tenho, todo o meu organismo responde com uma incontrolável excitação de querer viver mais e eternamente, de se alimentar outra vez intensamente e repetidamente. Quando não te tenho o meu interior simplesmente desliga-se, deixa de ter interesse em reagir. Não me confundas, não me tentes, não me provoques e não teimes em voltar. Pára de te exibires para mim, pára de me testares, já te disse que não te quero! Tu tens é algo na essência desse teu amor que não é normal porque ter-te já não é só uma necessidade, é um pensamento ruminante e desesperante do tenho que te ter, tenho que voltar a alimentar-me de ti, amo-te e não consigo não amar-te porque de outro modo enfraqueço por dentro e morro por inteiro.

Tive uma recaída e fui atrás de ti…nem imaginas…o meu coração estava em plena taquicardia, todo o meu corpo doía só com a ideia de que poderias estar por perto. Contive-me a olhar para a tua janela com vontade de te ver mas aterrada com o medo de te sentir outra vez…e mantive-me de longe. Não tive coragem de me aproximar…a tentação de te tocar, de te dizer o quanto te amo e demonstra-lo de todas as formas possíveis ressurgiu e eu acobardei-me! Eu sei que o dia em que voltar a beijar-te, será o dia em que todo o meu esforço de me livrar de ti ruirá e eu irei sucumbir ao desejo de te ter outra vez e desejarei que dessa vez seja para sempre.

Um dia disseste-me que há sempre um homem que será o tal homem que marca aquela mulher para todo o sempre e eu ri-me de ti porque isso soou tanto presunçoso como ingénuo. Depois de te ter tido, confirmo, existe sim esse homem e acrescento, esse homem tornar-se-á inesquecível e mesmo que substituível, será inigualável, incomparável. Tu és esse homem para mim e por isso vou amar-te para o resto da minha existência mas não, não te quero mais! Que vontade insaciável esta de querer viver para sempre inconsciente, entorpecida por esse teu amor viciante. Que tortura esta ter que resistir a essa vontade. Que vontade infame esta de te amar e desejar mas não te querer. Não te quero porque se me permitir querer-te mais um bocadinho, nem que seja só mais um mísero miligrama desse teu amor, sei que vou voltar a perder-me em ti e por isso amo-te mas não te quero!