A amizade virou um esquema!

É incrível como uma pessoa entra e sai da nossa vida sem sequer pedir uma autorização e nós estupidamente pensamos sempre que é por bem. Que essa pessoa entra na nossa vida e que nunca irá sair dela. Que se ela entrou foi obra do destino e, que, com certeza, só poderá ter aparecido para nos ajudar nos piores momentos, para nos fazer sorrir, para nos fazer acreditar que existem amizades verdadeiras, aquelas amizades para toda a vida.

Confiamos em alguém, desabafamos com essa pessoa, mostramos atenção, carinho e uma sensação de tranquilidade e paz, e no final? No final vemos o que realmente essa pessoa é, a sua máscara caí finalmente e as suas boas intenções metem um ponto final na ilusão.
Acabamos por sair desiludidos, magoados mas depois de um tempo deixa de doer e voltamos a acreditar na próxima pessoa da fila. Pobres ingénuos, quando é que vamos aprender?

Falsidade, falsidade e mais falsidade. É o que vemos na sociedade de hoje em dia, infelizmente.

Onde estão as pessoas que sentem realmente? Onde estão as pessoas que lutam pelo amor, pela amizade?Onde estão as pessoas diferentes? Aquelas por quem vale a pena passar alegrias e tristezas?

Hoje em dia não se pode confiar em ninguém, e custa-me dizer isto pois eu apenas confio na minha escrita, nas  palavras que se vão transformando conforme a cor da minha alma.

Quando temos um amigo em que pensamos que podemos confiar, em que estamos todos os dias juntos e vamos beber uns copos e apanhamos bebedeiras juntos tu achas que isso será eterno? Hoje em dia quando tu encontras os tais “verdadeiros amigos” acredita que quando menos esperares eles não te vão dar facadas nas costas, vão espetar a faca bem profundamente no teu coração e acredita que não vão olhar para trás. Não vão perguntar se te doeu, se estás bem, como estás e com quem estás.

Hoje em dia, a amizade virou um esquema, se te dás bem com os mais populares do colégio ou da tua terra acredita que todos vão atrás de ti, se és rico acredita que todos vão atrás de ti. Se fores beber uns copos, dar uma festa, ir à praia ou à piscina, acredita que vão todos atrás, basta convidares e terás logo um “sim” como resposta ao teu, tão apetecido, convite. Mas experimenta ligares para esses tais amigos quando estás mal, quando queres chorar, quando necessitas de uma palavra amiga, de um ombro amigo. Liga-lhes e pergunta se podem estar contigo, em tua casa apenas a falarem e não se surpreendam com as respostas.

A amizade virou um negócio, um esquema em que sais vitorioso, com sorte e com “bons conhecimentos”.

Acredita que por trás de uma cara bonita e de uma palavra mais meiga existe sempre a falsidade, a ignorância, a inveja, o mau olhado e tudo o que tu possas pensar, por isso mantêm-te atento.

Estarás a dar-te com as pessoas certas?