Amar não é bater!

Enquanto choras e finges que tudo está bem, onde está o amor? Onde estão os sonhos que tinhas dentro de ti? Onde está o teu sorriso? Enquanto disfarças as marcas de uma dor que não acaba, onde está a paixão?

Onde estão as fantasias que criaste? Onde está a esperança num novo amanhã? Enquanto te prendes, onde vive a tua liberdade? Onde habitam as tuas vontades? Onde crescem as tuas verdades? Enquanto te negas, o que vives? O que sentes dentro de ti que te faça ficar ao lado de quem não te respeita? De quem não luta para te proteger? De quem não cuida do teu corpo, do teu coração? Enquanto estiveres nessa prisão, quem te pode salvar? Quem te pode ir buscar se tu te escondes de tudo? Se tu dizes ser a pessoa mais feliz do Mundo (mesmo não o sendo)?

Não fiques! Não te esqueças que o amor primeiro vive dentro de ti, vive dentro de tudo aquilo que te faz viver, de tudo o que te faz sorrir, de tudo o que te faz querer. Não te anules. Não esperes por quem partiu, por quem te mentiu ao dizer que voltava, ao dizer que era a última vez que te mal tratava. Não fiques! Não abraces quem não te abraça, não beijes quem faz os teus lábios tremerem de medo. Foge! Foge de tudo o que te faz não viver mas, sobretudo, foge de ti mesmo/a. Agarra de novo os sonhos, levanta-te do chão em que ficaste estendido/a à espera que o destino se lembrasse que existias. Acredita nas tuas fantasias, sai do Mundo, para voltares a entrar nele repleto de vontade.

Agarra cada oportunidade, guarda os melhores momentos e deixa os piores esquecidos no lugar que abandonas. Abraça quem te protege, quem te ama – com tudo aquilo que és, com o teu melhor, com o teu pior. Ama quem espera, quem prova que se importa contigo, quem não é teu inimigo, quem representa para ti um perigo. Liberta-te dos monstros. De quem não se ama a si mesmo e não ama ninguém. De quem te bate só para mostrar que é alguém. De quem te causa uma dor que te impede de ir mais além.

Ama-te! Mas ama-te agora mesmo. Ama-te ao ponto de largares tudo, de seres tu a prioridade, de esqueceres o medo e a mediocridade – aposta em ti. E no fim, não passes ao lado da vida ao enganar-te que és feliz, ao ficares só porque ele/a quis. Não fiques… vai! Vai ser feliz à tua maneira.