Algo fictício…

E contemplei o mundo em seus braços, e aí, percebi que a vida é muito mais do que aquilo que fazemos dela.

A noite estava calma, o mar dormia e respirava em suaves ondulações, a areia da praia era macia e os pés enterravam-se na mesma, a noite era perfeita, tinha tudo para ser perfeita.

─ Um sonho pelos teus pensamentos!

─ Um pensamento por um sonho ─ Respondi obstinada.

Depois fui contemplada com o maior dos sorrisos, um sorriso, incrustado de pérolas.

─ Troca por troca! ─ Afirmou ─ Qual dos sonhos? Tu ou Nós?

─ Os dois! ─ Duas mãos diferentes que se entrelaçam, duas mãos que se conhecem e anseiam tornar-se apenas uma ─ Apesar que eu não sou um sonho, eu estou aqui, a apertar-te a mão e a enterrar os pés na areia junto aos teus.

─ Não sei o que acontecerá amanhã, não sei o que acontecerá daqui a 2 segundos e não sei se neste momento não estarei a sonhar, se este teu perfume que me invade não será apenas mais um aroma que entra pela “ janela”.

─ Quem poderá estar a sonhar sou eu e não tu, quem esperou por ti fui eu, logo tu és o meu sonho, porque sempre o foste ─ O cheiro a maresia acercava-se de nós e por momentos apreciei o silêncio que se seguiu, só a respiração do mar era audível, aconchegamo-nos juntos a meio de combater a fria brisa que corria pelos nossos corpos.

─ Amo-te─ Aquela palavra foi proferida tão fora de contexto que fui apanhada de surpresa.

─ Amo-te! ─ Depois de eu ter afirmado o mesmo, mostrou-se pensativo e mordeu o polegar como tantas vezes o vi morder.

─ O que devo mais dizer?

─ Não digas mais nada! Demonstra apenas.

Assim como a areia é levada e arremessada pelo mar, também este assunto o foi, a cada uma das nossas respirações o assunto foi esfriando.

─ E agora os pensamentos? Mereço?

O gelo quebrou novamente.

─ Penso que nos teus braços a vida é mais do que aquilo que faço dela.

A reação da parte dele foi apenas pressionar ainda mais o braço que me rodeava.

PORSofia Sousa
Partilhar é cuidar!