Ainda guardo vários lugares para ti.

(…) Não quero que me percas no último terminal, se tiveres de me perder que seja onde nunca terminaremos.

Há uns quantos dias que vagueio pelo metrô, faço o caminho que fazíamos diariamente como quem deseja amar de novo. Desculpa mas ainda guardo o teu lugar na cavidade do meu ombro, o teu lugar no Banco bem ao meu lado, não a frente nem atrás, tem de ser ao lado, todos os amores andam ao lado e tu acabaste por adiantar o passo. Desculpa, estava a dizer que ainda guardo vários lugares para ti, o lugar da janela principalmente, eras tão feliz quando sentias o tempo a passar por ti, tão rápido que nem davas conta que me amavas um pouco mais a cada trajeto que fazíamos para casa. Foi isso não foi?
O tempo envelheceu-te demasiado rápido, porque o que é amado acaba depressa. Tenho a certeza disso. O tempo só te levou para ter com quem voar, claro que foi isso.

Estou a chegar ao terminal, já ouço as portas a abrirem, ouço uma voz de fundo que diz “última paragem ” como se me obrigasse a despedir-me de ti e o metrô vai parando. Está na minha hora, amanhã eu volto .
Guarda-me o lugar.

PORRafael França
Partilhar é cuidar!