(Ainda) amo-te. Adeus (?)

Muitas vezes só sabemos o que é amar, quando se passa pelos momentos mais complicados. Momentos esses que nos deixam cheia de dúvidas. Será que valerá a pena? Será que eu consigo aguentar com isto? Só sabemos o que é o amor, quando sentimos a falta dessa pessoa, só sabemos como alguém é importante para nós quando de uma forma ou outra perdemos essa pessoa. Quando a pessoa nos deixa. Quando se separa de nós.

Muitas vezes é tarde voltar atrás e tentar fazer tudo de novo. Pensas nos momentos bons que viveste junto da pessoa que tu realmente amas. E pensar que está tudo estragado, muitas vezes graças ao teu egoísmo, antipatia, ao teu orgulho, deixa uma pessoa pior que sei lá o quê, fazes coisas que mais tarde te arrependes.

Se a outra pessoa te aceitar e te perdoar de volta todos esses teus erros, não a deixes fugir. Mantém-te junto a ela. Acho que ninguém gosta de magoar seja quem quer que seja, muito menos a pessoa que tu amas. As pessoas perdem mais tempo com discussões, com birras e com seja lá o que for do que aproveitar os momentos bons, os momentos que devem e ficam guardados para sempre.

Eu sei que sou uma pessoa (muito) complicada, que faço e digo coisas estúpidas, que não mereço ter uma pessoa tão extraordinária como tu, mas, por favor, só te peço uma coisa: não desistas de mim, de nós. Porque se tu abandonares o barco, eu também o abandono. Se tu desistires, eu também desisto. Eu sou fraca, eu sei. Preciso de uma pessoa forte como tu comigo.

Nestas últimas noites admito que tenho pensado em desistir e deixar tudo para trás. Não querer saber mais do que tu fazes ou deixas de fazer, não querer saber mais a tua opinião para isto ou para aquilo. Simplesmente, dizer adeus a tudo. Mas como eu vou fazer isso? Como eu poderia fazer isso? Como eu pude sequer equacionar isso? Se tu quiseres fazer isso, desistir de aturar estas minhas tolices, eu terei de aceitar isso. Eu contribuí para isso, eu sei. Mas vou te dizer uma coisa: se tu fizeres, nunca mais me irás ver, ouvir, cheirar ou sequer tocar. Se achas que é disso que tu precisas e que te faz mais feliz, eu aceito. Só quero que sejas feliz, com ou sem mim.

Admito que fiquei com (um bocadinho) de ciúmes por ires passar essa semana aí, que fiquei insegura e (um bocadinho) triste. Por muito que dissesses o contrário, tinha medo que alguma rapariga te encantasse e tu, sabes o que eu quero dizer, (só de imaginar…).
Foste a melhor pessoa que eu já conheci! Podes ter mil e um defeitos aos olhos das outras pessoas, mas aos meus olhos és perfeito.

És a pessoa mais carinhosa, mais tudo que eu já conheci. E tive a sorte de a ter na minha vida e mais tarde vou puder recordar todos os bons momentos que passei contigo e todos aqueles que espero vir a passar. Porque todos esses momentos estão para sempre guardados.

É tão bom puder ter pessoas como tu ao meu lado e a partir de hoje cada dia que passe vou fazer mais e mais para ficarmos juntos. Porque se realmente amas fazes por isso. Tu lutas, tu arriscas! E a partir de hoje deixarei de ser a burra e a orgulhosa que sou e passarei a ser uma mulher que não tenha medo de arriscar, de lutar, de cuidar, de fazer tudo por ti. Porque se há pessoa que mereça tudo isso és tu, e só tu.

Obrigada pelos 7 meses magníficos que me proporcionaste, obrigada por partilhares a tua vida comigo. Por me escolheres a mim, a pessoa que é, provavelmente, a que menos quererias para ter a teu lado. Se calhar preferias uma pessoa mais normal e menos bipolar. Uma pessoa mais forte. Desculpa, por isso e por tudo o resto. Morro de saudades tuas. É só isto que te quero dizer. Se no fim de leres isto, a tua reposta for sim à questão de desistires, estás no teu direito (mas não serei a mesma sem ti). (Ainda) amo-te. Adeus (?).

PORAna Martins
Partilhar é cuidar!

RELACIONADOS




PELA WEB

Loading...