Agradeça aos babacas da sua vida…

Ele foi um tremendo babaca contigo, eu sei. Enquanto você seguia a lógica matemática de que um casal é composto por duas pessoas, ele a desafiava ao compor casal de três, quatro, cinco pessoas. Ainda assim, após tanta cafajestagem, saiba agradecer. Não cuspa no prato que comeu.

Sei que você guarda um carinho por ele proporcional à distância que os separa, quilométrica e sentimental. Foi ele que abriu teus olhos, lindos por sinal, para a vida. Ele, aquela aquarela de um metro e setenta, coloriu teu mundo, deu sentido a ele quando você não mais esperava. Ele foi um marco na tua vida e você pode dividi-la entre antes e depois dele.

É claro que esquecer dele não foi nada fácil. Sei das noites que você passou em claro chorando e tendo que no dia seguinte disfarçar as olheiras e olhos inchados. Na época, você o odiou o quanto foi possível, até o último fio do cabelo dele. Você foi ao fundo do poço, apelou para cartomantes que prometiam trazê-lo de volta em três dias. Ele não voltou – graças a Deus!

Ter a certeza de que você + ele não seria “nós” te causava um aperto no peito. Te fazia crer que sofrer do mal de Alzheimer ou amnésia crônica seria uma boa alternativa. Naquela época você não se imaginava sem ele. Sem os treze diferentes sorrisos, os olhares que falavam tanto, as manhas e manias e o cabelo bagunçado logo ao acordar. Hoje, você sabe que ele foi uma perda necessária, pois você o perdeu para se encontrar.

Até bem pouco tempo tua imaginação se enganava dizendo que vocês ainda eram dois, apesar de saber que não havia espaço, sequer razão, para viver tudo que sonharam um dia. Não com a bagagem do passado, do presente e do futuro caótico que se avizinhava. Você só demorou para perceber que era ele a ancora que te prendia. Não se culpe. Não tinha solução. Enquanto houve fôlego você remou. Durante certo tempo remou por dois. Acabaram naufragando e não havia bote salva-vidas que suportasse a carga dessa relação.

E, apesar de tudo e sobretudo, você está aí, agradecendo por ele entrar na tua vida e mostrar as coisas mais lindas que você já viveu. Agradecendo, pois graças a ele você não tornará a cair em papo de malandro. Porque pra cada malandro no mundo existe uma mulher que entende de malandragem. E essa disciplina você cursou, andou na corda bamba, pegou G2, mas foi aprovada.

Tenha certeza que você encontrará alguém para te acompanhar pelos caminhos da vida. Alguém que seja companhia e não bússola. Que caminhe ao teu lado e não sejas teu guia. Alguém que refaça caminhos contigo e deixe aquele velho mapa para trás. Alguém que solte o mundo para segurar na tua mão.

Não se preocupe, você está indo bem. Até já aprendeu a pedalar sem as rodinhas. Vez ou outra se desequilibra, acontece.

Então manda logo esse: MUITO OBRIGADO! – otário, por perder a mulher da tua vida!