Adeus…


Nem tudo o que vai volta e parece que nós fomos uma dessas coisas. A culpa não é tua e especialmente, a culpa não é minha. Sei que no passado a culpa foi de ambos e durante muito tempo culpei-me porque achei que não era boa o suficiente, que não tinha sido boa o suficiente para que não me deixasses e para que me amasses “para sempre” mas não.

Eu estava errada, a culpa não foi somente minha. Quanto mais eu te tentava puxar para mim mais tu querias ir e isso só mostrou que não me amavas o suficiente ou que, pelo menos, não me querias o suficiente. Não te culpo, não é por isso que te escrevo, escrevo-te para colocar um ponto final na nossa história.

Eu ainda te amo ou, pelo menos, eu acho que ainda te amo. Nunca mais te vi e isso complica muito as coisas. Sabes? Eu tentei, tentei muito que tudo voltasse a dar certo mas apercebi-me que estávamos a voltar atrás, ao que éramos e ao que nos tinha levado ao limite. Quanto mais eu te puxava mais tu querias ir.

Doía-me tanto quando acabamos e de certo modo, à pouco tempo também doía. Mas deixou de doer e sabes porquê? Porque eu meti na cabeça que não era isto que queria. Guardei o meu amor por ti durante este tempo todo e à medida que o tempo passava eu fui conseguindo, não deixar de te amar mas sim deixar de pensar tanto em ti e seguir com a minha vida. E é isso que eu quero.

Quero seguir com a minha vida e esquecer a mágoa toda. Quero guardar os bons momentos que partilhámos e que proporcionamos um ao outro. Quero relembrar o quão fui feliz ao teu lado. Mas acima de tudo, quero ser tua amiga. Uma grande amiga mas apenas isso, uma amiga.

Não te quero completamente longe mas também não te quero muito perto. Quero guardar o carinho que tenho por ti para sempre mas quero esquecer-te e encontrar alguém que me queira tanto como eu o quero a ele. Como eu um dia te quis a ti. Tu sabes que eu preciso disto. Tu sabes que eu mereço isto.

Amo-te. Amei-te durante este tempo todo mas está na altura de eu libertar este amor. Desejo-te o melhor da vida porque sei que o mereces e espero que um dia olhes para trás, não com mágoa mas com carinho e que apenas penses “foram bons momentos, pena não terem sido mais”, que sorrias ao relembrar esses momentos e que me guardes sempre no teu coração.

É desta maneira que me despeço, que te removo aos poucos do meu coração e definitivamente da minha cabeça. É desta maneira que tento seguir em frente, tal como tu já fizeste há muito tempo.

RECOMENDAMOS