A vida é também o código da condução.

O homem é cada um de nós, como protagonista da sua história, a via é onde a vida e os momentos dela se desenrolam, e o veículo é o pensamento e o coração, ou seja a forma como cada um decide seguir o seu caminho.

Cada um de nós tem a função de conduzir a sua própria vida, com o seu tempo de reacção e as distâncias devidas, vamos encontrar alguns sentidos obrigatórios, vias e pistas reservadas a algumas pessoas e coisas, destinos e zonas possíveis para frequentar, mas por vezes nem tudo vai ser fácil, e alguns factores vão influenciar as aptidões do homem enquanto condutor, nem todos os veículos vão fazer uma boa inspecção, as reprovações por vezes vão acontecer, a sinalização em algumas situações vai estar lá para ajudar mas pode também falhar, e desta forma alguns acidentes e incidentes vão acontecer.

Ao longo da vida vamos ter de analisar e decidir, ser obrigados a obedecer e respeitar muitas pessoas e muitas coisas, podemos entrar de livre e espontânea vontade ou não por alguns desvios, vias ou até mesmo por alguns caminhos sem saída.

Em alguns momentos a visibilidade não vai ser suficiente, não vamos enxergar tudo o que esta a nossa frente e aí os embates vão ser cruciais e vamos ter sinais de trabalhos na via.

Nem tudo na vida vai ser como queremos, e nem sempre vamos ter tudo aquilo que desejamos, em algumas situações o trânsito para esses lugares vai estar congestionado ou até mesmo proibido, e ai aprendemos que nem sempre podemos fazer ultrapassagens e temos de ceder a passagem a coisas com mais prioridade, os dias não vão ser todos iguais e nós também não vamos acordar todos os dias com a mesma energia e vontade de fazer as coisas e por vezes vamos mesmo ser obrigados a transitar a um certo limite de velocidade para o nosso bem.

Ao longo da vida vamos fazer muitas operações de carga e descarga, vamos conhecer muitas pessoas, umas mais importantes e especiais que do que outras, algumas vão fazer um estacionamento autorizado e outras só estão de passagem e vão saindo pouco a pouco.

Ela, a vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, mas só pode ser vivida olhando-se para a frente, por isso algumas vezes vamos ser obrigados a fazer uma inversão de marcha para reflectirmos bem sobre as decisões, caminhos e vias que estamos a seguir para depois retomar a marcha.

Com o tempo vamos aprender que errar é humano, que todos nós erramos, ninguém é perfeito, mas que toda a gente tem de se responsabilizar pelas infracções que faz sejam elas graves ou muito graves.

A vida é só uma e é para ser vivida a cada momento, a cada manobra, pode ter curvas e contracurvas, bermas altas ou baixas o importante é viver com algumas precauções, cuidados e em segurança seja activa ou passiva pois um dia ela exige um stop como pagamento de coima e aí é tarde de mais para viver.

PORJoana G.Torres
Partilhar é cuidar!

RELACIONADOS




PELA WEB

Loading...