A nossa data…

Desculpa. Desculpa desde já porque um dia não me vou lembrar do dia em que começamos a namorar. Não sou bom com datas e isso vai sempre perseguir-me, faz parte de mim. Daquele lado da minha pessoa que tem piada por ser desajeitado. Não me vou esquecer da forma que gostas de colocar o cobertor sobre ti quando te deitas no sofá e, ainda, não sei como saboreias o teu sono mas sei que não me vou esquecer disso também.

Da mesma forma que não me vou esquecer que te babas enquanto dormes, que viras a almofada ao contrário, que preferes dormir de barriga para baixo. Não me vou esquecer de como completar as tuas frases de sempre, mas, desculpa. Desculpa porque sei o quanto fixas a nossa data e lhe dás valor e, eu também dou! Acredita que sim, mas odeio datas. Não me esquecerei do teu aniversário ou do dia em que te vi pela primeira vez por acaso. Nunca me esquecerei das músicas irritantes que decoras por não te saírem da cabeça e, que proferidas por ti, parece que deixam de ser tão irritantes. Sei lá, talvez por o fazeres sempre com um sorriso na cara e isso, de certa forma, camuflar essas tais coisas irritantes.

O teu sorriso… Talvez a segunda coisa mais difícil de definir em ti. Difícil pela forma como transbordas felicidade a olhar para mim. O teu olhar… Cheio de brilho, transparente e forte. Brilho esse que zelarei por manter, que lutarei para que permaneça. Tão parecidos que somos em tantas situações, tão diferentes noutras tantas. Tão unidos que somos e focados no nosso futuro, nem noção dele temos, mas, de tanta cegueira por tamanha crença em nós, vamos lutar por isso. Sem saber as consequências e, de certa forma, sem querer saber delas, a promessa de lutar sempre está e será mantida.

As saudades que vou ter quando não estiveres por perto e o orgulho de te ver vencer os objetivos, serão de tamanha proporção que no fim quando te voltar a ver só saberei sorrir, estarei sem palavras para exprimir, porque estar contigo é isso mesmo: ficar sem palavras, boquiaberto. Pela aura que emanas de ti que, me faz querer abraçar-te de tal forma que até as tuas células da medula óssea se sintam acolhidas por todo o carinho e proteção que terei para te dar. Que o meu abraço seja sempre o teu ponto mais seguro. Que recorras a mim para procurar amor mas, também para procurar conselhos sobre a amizade com a colega que não está tão bem como já esteve. Que deposites em mim total confiança. Que te mantenhas apaixonada dessa forma que estás. Certamente nunca me esquecerei disso.

Desculpa. Vou-me esquecer da nossa data mas, com certeza nunca me esquecerei do teu cheiro, da tua forma de viver e, por muito tempo e vivências que passem, nunca me esquecerei de ti. Ainda que o tempo e a vida se esqueçam de mostrar mais um degrau e eu te perca ao tropeçar, promete-me que não te vais esquecer que eu nunca me esqueci de todos os teus pormenores lindos que, nunca te esqueças que te amarei tão intensamente ao ponto de ficar sem palavras para o exprimir. Não te esqueças destas palavras .

Desculpa mas, eu não vou saber deixar de lutar por ti. Que o que aí vem te faça ver que sempre te amarei, de certeza que farei por isso.

PORRui Vieira
Partilhar é cuidar!