A INDÚSTRIA Dos Incêndios Em Portugal!!! E Quem Anda A Ganhar Com Eles…

Para quem não saiba, este mês de Agosto está a ser bastante complicado para Portugal no que toca a incêndios, inclusive na Madeira. Só para terem uma ideia, este ano foi o pior dos últimos 10. Infelizmente, a maior parte deles são obra de mãos criminosas que beneficiam, directa ou indirectamente, da terra que fica “livre” e da madeira queimada.

Apesar de muita gente dizer que estas pessoas têm problemas psicológicos (é o que as TVs mais “vendem”), nem sempre (quase nunca) acontecem por acaso:

  • o facto do combate aéreo aos incêndios em Portugal ser totalmente concessionado a empresas privadas;
  • grande parte das ocorrências de novos incêndios por parte dos populares surgirem logo após a passagem de aeronaves, e mesmo assim continuam sem investigação;
  • o Estado ter 700 milhões de euros para comprar dois submarinos, mas não ter dinheiro para comprar vários aviões Cannadair.

Caso não saibam, a maior parte da madeira utilizada pelas celuloses para produzir pasta de papel pode ser utilizada mesmo após a passagem do fogo sem grandes perdas de qualidade, mas mesmo assim os madeireiros compram-na por um terço do seu valor.

Várias órgãos de informação receberam por diversas vezes cartas anónimas a dizerem basicamente que enquanto houverem reservas de caça associativa e turística em Portugal, o país vai continuar a arder, uma clara ameaça de quem quer caçar nesses espaços, mas não quer pagar.

Para piorar a situação, existe constantemente uma pressão politica para reduzir a exibição de imagens de todos os incêndios que acontecem no país, com o argumento de que quanto mais fogo as pessoas vêem, mais se sentem motivados a provocá-los.

Além disto tudo, toda a gente sabe que os rebentos da vegetação são mais tenros para os rebanhos nas primeiras chuvas que acontecem nos terrenos queimados e, infelizmente, os bombeiros dessas zonas já conhecem bem esta realidade.

Vê também: 10 Espectaculares Edifícios Abandonados De Portugal!!!

Ainda assim, o Estado continua a não fazer o que pode e deve, como:

  • assumir o combate aéreo aos incêndios com meios próprios, terminando com os contratos com empresas privadas;
  • reforçar a vigilância pela floresta durante o Verão com forças militares;
  • alterar as penas para criminosos de fogo posto, condenando-os efectivamente a penas máximas;
  • e, como é óbvio, aumentar o seu apoio às corporações de bombeiros.

Ainda achas que não existem motivações económicas para a maioria dos incêndios???

FONTEbligz
Partilhar é cuidar!