A Diferença Entre Um Miúdo E Um Homem!

Ser um miúdo durante uma parte da vida não é errado nem de forma alguma condenável, é até necessário e previsível. Se não tivesses sido criança podias ser agora adulto, completamente adulto? Claro que não. É preciso crescer, viver, aproveitar cada fase, que vem com as suas alegrias, as suas tristezas, os seus erros e as suas aprendizagens.

Contudo, chega uma altura da vida em que ser um miúdo deveria ser aborrecido. As mesmas bebedeiras, as mesmas saídas à noite, as mesmas mulheres descartáveis, os mesmos amigos sem objectivos de vida, as mesmas falhas com ele mesmo e com os outros. Tudo isso deveria tornar-se cansativo e velho. Só que para algumas pessoas o que deveria ser não é e assim surgem os miúdos que nunca serão homens, aqueles dos quais deves manter a distância, a menos que procures um caso de uma só noite, porque esses nem para uns meses dão, descarrilam demasiado depressa e levam o teu bem-estar com eles.

[inserter block=”15″]

Quem se envolve com um miúdo raramente o faz verdadeiramente às cegas; na maioria dos casos simplesmente prefere tapar os olhos com as suas mãos e gritar “la la la” quando a verdade começa a falar alto, agarrando-se à ideia milagrosa de que ele irá mudar. O que acontece depois é que levam uma valente chapada da vida, que lhes ensina que tudo o que pensavam existir é uma total ilusão, criada dentro da própria cabeça, e não gostam nada da realidade que sempre esteve à sua frente. Dificilmente podes encontrar um só culpado aqui. Se um iludiu, o outro deixou-se iludir, a menos que seja o teu primeiro amor. Por isso, não sejas cega por opção, a figura que fazes é triste e um dia vais dar por ti sem orgulho na pessoa que és.

Então presta atenção. Um miúdo nunca vai ter dinheiro para te levar a jantar fora nem imaginação para pequenas surpresas, mas vai sempre ter dinheiro para ir sair com os amigos e para comprar o que quer que seja que ele goste, mesmo que passe os seus dias a lamentar-se do quão difícil a vida está. Um homem vai fazer de tudo para que tenhas o jantar romântico que mereces, desde levar-te ao restaurante mais caro da cidade se tiver meios para isso até planear um jantar à luz das velas na praia, que é uma opção muito mais barata, mas tão ou mais bonita que qualquer restaurante com vista sobre o rio.

Um miúdo vai quase sempre lembrar-se de ti quando está mal, quando quer levar-te para a cama ou quando alguém se lembra de ti; é mais grave ires tomar café com um amigo do que teres de apanhar um transporte público às onze da noite. Um homem vai interessar-se pelo que fazes, não por sentimento de posse, mas por preocupação e carinho, e vai querer ter a certeza de que chegaste segura a casa naquela noite em que tiveste de ficar a trabalhar até mais tarde, chegando a disponibilizar-se para te ir buscar caso possa.

Um miúdo vai fazendo uns trabalhos aqui e ali por forma a suportar os seus vícios e hobbies, e vai pedindo dinheiro aos pais talvez, mas fica a dormir até à uma da tarde numa qualquer terça-feira, porque não lhe apetece estudar ou trabalhar. Um homem vai à luta, tem objectivos traçados e não precisa de ti ao lado dele para os alcançar; a tua presença só lhe dá mais força, mas não determina o seu sucesso. Ele é independente e gosta que também o sejas, porque duas pessoas são, ou devem ser, dois indivíduos antes de serem um casal.

Um miúdo vai querer fazer tudo segundo o timing dele e vai tentar persuadir-te a ceder nos teus princípios e na tua auto-estima. Um homem vai entender que tudo corre melhor e sabe melhor se estiverem os dois certos do que querem e se não houver ilusões a baralhar o teu pensamento ou o dele. Um miúdo irá propositadamente deixar-te doida e insegura para lhe fazeres as vontades todas enquanto que um homem irá querer-te estável e dar-te razões para isso, porque também não gosta de ser sufocado por inseguranças tuas. Um miúdo não te vai querer todos os dias, às vezes não lhe chegas e às vezes és tudo quanto basta; parece bipolar. Um homem saberá que te quer a ti, mesmo nos dias maus e, se chegar uma altura em que não te queira mais dessa forma, respeita-te o suficiente para te dizer e não deixar-te presa a uma relação sem futuro. Um homem não é menos miúdo ou mais homem por ficar contigo para sempre, porque o futuro ninguém sabe; é, antes, por ter a consciência de que não é por falta de dedicação dele que o vosso amor desaparece, se alguma vez desaparecer.

PORRaquel Simões
Partilhar é cuidar!