A bailarina

 No momento em que mais surpreendeste, dançavas em cima da minha preciosa imaginação, teus lábios recriavam a melodia certa, prescrita em notas musicais que tocam no meu coração.

Passo horas e horas sentado, mais tarde debruçado no nada, mas sempre fiel a ti, linda, grande princesa e minha fada encantada. Silhuetas imaginárias, sonhos dançantes em teu redor recriam um cenário maravilhoso, quando te sobrepões apenas dançando à margem de uma bela história de amor.

Não importa a qualidade musical, importa realmente o que o meu coração sente. Desejoso estou em te ter nos meus braços, momento maravilhoso, momento surpreendente! Baila, cantando suavemente, respirando os meus sonhos.

Que momento tão lindo, desejado por factos previsíveis, aliados à perspicácia de um tempo risonho. Fico feliz ao ver essa tua sensatez em cima de um palco, no meio de uma estância senhorial. Sou escravo desse teu olhar, sou teu servo deitado nesta nota musical. Canta alegria, canta alegrando a tristeza, alegra os teus indignos de amor, eleva a preciosidade há muito refugiada no clamor.

Sou um romancista em livros ou em dança musical, sou o teu príncipe cavaleiro, que te conduz a uma grande e eterna verdadeira história vivida numa tela, recriada num momento sentimental. Este é o momento, o meu sonho e a minha sina. Danço contigo numa história e declaração de amor, inspirada numa carta, minha linda mulher, minha grande bailarina.